fbpx

Religião e Revolução

Religião e Revolução –  A Sociologia da Religião de Friedrich Engels
Wallace Cabral Ribeiro

O principal objetivo deste livro é identificar e analisar as investigações sociológicas de Friedrich Engels sobre a relação orgânica entre religião e política em contextos de acirramento de luta de classes, com ênfase nas reflexões sobre as experiências religiosas de contestação social, a exemplo dos anabatistas na Alemanha do século XVI e das primeiras comunidades cristãs dos séculos I e II. Para Engels, a religião é um fenômeno histórico em constante movimento, que pode se configurar de múltiplas formas, assumindo feições conservadoras, moderadas, reacionárias, progressistas, reformistas, contestadoras e, em alguns casos, revolucionárias. Portanto, não possui um significado universal, atemporal e a-espacial, nada lhe é intrínseco, sua fisionomia está relacionada a fatores históricos, estruturais, conjunturais e situacionais. A sociologia da religião de Engels é atual na medida em que nos possibilita pensar analiticamente fenômenos religiosos de contestação social ocorridos recentemente na história, como a teologia da libertação e os diversos movimentos evangélicos de esquerda (ou progressistas) no Brasil contemporâneo.

Descarregue aqui:

Rayane Andrade comenta o Livro Armadilha da identidade de Asad Haider

Dia 6 de dezembro, 14h
Sessão da Tarde
Rayane Andrade comenta o Livro Armadilha da identidade de Asad Haider
Rayane Andrade é advogada, professora, doutoranda em Direitos Humanos pela UnB, coordenadora do Setorial de Direitos Humanos do PT RN
Sobre o livro: Desafiando a maneira como entendemos a história da luta antirracista, este livro enfrenta a uma discussão central na política contemporânea. Qual fator é mais importante: classe ou raça? Para demolir o impasse gerado por tal polêmica, Asad Haider recorre ao rico legado da luta contra o racismo nos Estados Unidos. E, baseando-se nas palavras e ações dos teóricos revolucionários negros, argumenta que a política de identidade não é sinônimo de luta antirracista, mas, ao contrário, equivale à neutralização de seus movimentos.
É a partir de Malcolm X, dos Panteras Negras e de vários outros pensadores revolucionários que Haider sustenta a urgência da solidariedade e da luta coletiva contra uma estrutura social opressiva.
Alunas/os e ex alunas/os podem assistir pela sala Zoom, solicite o convite pelo endereço matricula@elahp.com.br
ELAHP
Escola Latino-americana de História e Política
Whatsapp inscreva-se enviando “OI” para 011 95669 7500
Participe do Grupo da Elahp no Facebook: https://www.facebook.com/groups/grupoelahp

Passaporte ELAHP 2022

A ELAHP é uma inciativa autônoma, autossustentável e sem fins lucrativos, o que significa que não recebemos nenhum apoio financeiro de partidos e/ou otras organizações e entidades, nossa sobrevivencia depende exclusivamente da colaboração de nossas/os alunas/os.

Importante destacar que as/os docentes são voluntários, mas mesmo assim temos despesas regulares com divulgação, plataforma de cursos, telefone, emissão de certificados, etc.

Em 2022 estamos adotando uma nova modalidade de pagamento, são mensalidade de R$ 33,00 (trinta e tres reais) por mês que dão direito a um semestre, Plano Semestral, ou um ano inteiro de cursos, Plano Anual por R$ 28,00 (vinte e oito reais) por mes.

Para os que puderem há o plano solidário, são mensalidade de R$ 50,00 (cinquenta reais) por mês que dão direito a um ano inteiro de cursos, a diferença será utilizada na concessão de bolsas, preferencialmente para estudantes e aposentadas/os

Cursos confirmados para o primeiro semestre de 2022

– Ciclo de debates sobre o Bicentenário da Independência

– Jornada de Formação Cloves Castro

– Sistema de justiça

– Leitura dirigida de O Capital – Volume 3 (curso anual)

– Introdução a realidade brasileira

– O marxismo e o pensamento libertário em África

– SUS: reforma ou revolução?

– O que é feminismo?

– Curso básico sobre movimento sindical: o que é o sindicato, história do sindicalismo no mundo e no Brasil, o que é luta de classes, a situação da classe trabalhadora no Brasil, limites da ação sindical

Como funciona?

Ao fazer sua adesão a um dos planos voce receberá um Cupom de Desconto, com esse cupom voce poderá efetuar a matrícula em qualquer curso da ELAHP sem pagar mais nada.

Além desses voce terá acesso à todos os cursos gravados e disponíveis no portal da ELAHP.

Faça já sua assinatura! Colabore com a manutenção desse importante projeto!

Plano SEMESTRAL
R$ 33,00 por mes

Plano ANUAL
R$ 28,00 por mes

Plano SOLIDÁRIO ANUAL
R$ 50,00 por mes

Plano SEMESTRAL – À  VISTA
R$ 180,00

Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

Plano ANUAL – À  VISTA
R$ 300,00

Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

Roteiro de aula do curso sobre “método de análise de conjuntura”, Valter Pomar

A versão original deste texto foi escrita no final de 2016 e divulgada no início de 2017. Em junho de 2021, foi revisto e atualizado, para servir de roteiro para uma aula do curso da Escola Latinoamericana de História e Política (ELAHP) sobre “método de análise de conjuntura”.

Descarregue aqui:

Educação em Disputa: A Escola Pública em Risco

A Escola Latino-americana de História e Política é uma iniciativa autossustentável e sem fins lucrativos, todas e todos docentes são voluntários.
As contribuições destinam-se a custear os custo operacionais da escola.
Este curso está sendo em realizado em parceria com o SINDEMA – Sindicato dos Funcionários Públicos de Diadema, cuja categoria está isenta de qualquer contribuição. Entre em contato com o Sindicato e solicite seu Cupom de Bolsa.
Para outras/os interessadas/os a contribuição para este curso é de R$ 30,00, contribua conforme suas possibilidades.
Caso voce não tenha condições de arcar com nenhum valor envie uma solicitação de bolsa para matricula@elahp.com.br
Pacotes especiais para Sindicatos, Movimentos Sociais e entidades afins, entre em contato pelo email matricula@elahp.com.br
As aulas serão ministradas pela plataforma Zoom.
É fornecido certificado condicionado à presença de, no mínimo, 70% das aulas.

Ementa: Este curso tem por objetivo promover uma contextualização histórica da educação e os debates em torno das disputas ideológicas da educação básica no país como parte de um projeto mais amplo do capitalismo global de um lado, e da resistência da educação pública e democrática de outro. Busca-se também realizar uma reflexão crítica sobre as interferências e o projeto neoliberal na formação político pedagógico na atualidade. Finalmente busca-se construir elementos para uma política alternativa e um programa de resistência à educação pública no país.

Objetivo: promover um debate crítico acerca dos projetos políticos em curso na disputa da educação no país em perspectiva global e fomentar elementos para se pensar outro modelo de educação básica em defesa da escola pública e outras formas de formação emancipadora, popular e socialista.

De 08 de maio até 4 de setembro de 2021
Sempre aos sábados das 9h às 12h

Estado, política e classes sociais no Brasil: 20 anos da publicação de República do capital, de Décio Saes

A Escola Latino-americana de História e Política é uma iniciativa autossustentável e sem fins lucrativos, todas e todos docentes são voluntários.
As contribuições destinam-se a custear os custo operacionais da escola.
A contribuição para este curso é de R$ 35,00, contribua conforme suas possibilidades.
Caso voce não tenha condições de arcar com um valor menor ou não possa arcar com nenhum valor envie uma solicitação de bolsa para matricula@elahp.com.br
Pacotes especiais para Sindicatos, Movimentos Sociais e entidades afins, entre em contato pelo email matricula@elahp.com.br
As aulas serão ministradas pela plataforma Zoom.
É fornecido certificado condicionado à presença de, no mínimo, 70% das aulas.

Organizadores e docentes do curso: Danilo Enrico Martuscelli (UFFS), Eliel Machado (UEL) e Jair Pinheiro (Unesp)

Docentes convidados: Décio Saes (Unicamp/Umesp), Patrícia Trópia (UFU) e Tatiana Berringer (UFABC)

Projeto de extensão: América Latina Pulsa! América Latina Tiembla (UEL, UFFS, Unesp)

Textos introdutórios para conhecer aspectos gerais da obra de Décio Saes

Décio Saes entrevistado por Marcelo Lira Silva. Revista Aurora, vol. 6, n. 2, 2013, pp. 19-32.

Décio Saes. Reflexões de um docente e pesquisador. Educação & Linguagem, vol. 12, n. 20, 2009, pp. 40-53.

Renato Nucci Jr. e Danilo Enrico Martuscelli. “Política e classes sociais no Brasil: reflexões sobre a obra de Décio Saes” In: Maciel, David; Costa Neto, Pedro Leão da; Gonçalves, Rodrigo Jurucê Mattos (Orgs.). Intelectuais, política e conflitos sociais. Goiânia: Edições Gárgula; Editora Kelps, 2020, pp. 64-105.

Dossiê Décio Saes publicado no blog marxismo21: https://marxismo21.org/decio-saes/

Programação

Carga horária total: 16h

Todos os encontros terão duração de até 2h30

12 de maio, quarta, 16h

1º. Encontro : Apresentação do curso e debate do tema: Revolução burguesa e a questão do Estado

Resumo: O objetivo deste encontro é discutir o conceito de Estado como estrutura jurídico-política e sua aplicação na análise da revolução política burguesa no Brasil.

Professor responsável: Danilo Enrico Martuscelli (UFFS)

Leitura principal:

Décio Saes. “Florestan Fernandes e a revolução burguesa no Brasil” e “A evolução do Estado no Brasil (uma interpretação marxista)” In: República do capital: capitalismo e processo político no Brasil. São Paulo, Boitempo, 2001, pp. 17-32 e 93-105.

Leitura complementar:

Décio Saes. “Introdução” e “Conclusão” In: A formação do Estado burguês no Brasil. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1985, pp. 15-55 e 345-354.

Material de apoio:
https://drive.google.com/drive/folders/1rKUoxuMMRXMPx1lQE-NXcoaL4duJeukR?usp=sharing

19 de maio, quarta, 16h

2º. Encontro: As formas de Estado burguês democrática e ditatorial no Brasil

Resumo: O objetivo deste encontro é analisar os conceitos de formas de Estado burguês democrática e ditatorial e observar sua evolução e limites no Brasil.

Professor responsável: Eliel Machado (UEL)

Leitura principal:

Décio Saes. “A questão da ‘transição’ do regime militar à democracia no Brasil” e “Democracia e capitalismo no Brasil: balanço e perspectivas” In: República do capital: capitalismo e processo político no Brasil. São Paulo, Boitempo, 2001, pp. 33-47; 107-134.

Leituras complementares:

Décio Saes. A questão da evolução da cidadania política no Brasil. Estudos avançados, vol.15, n.42 2001, pp.379-410.

Décio Saes. A democracia no capitalismo. Democracia. São Paulo, Ed. Ática, 1987, pp. 49-73.

26 de maio, quarta, 16h

3º. Encontro: As classes dominantes e o processo político no capitalismo brasileiro

Resumo: O objetivo deste encontro é analisar o problema teórico das frações burguesas e observar o posicionamento das classes dominantes no capitalismo brasileiro.

Professor responsável: Tatiana Berringer (UFABC)

Leituras principais:

Décio Saes. Estado e classes sociais no capitalismo brasileiro dos anos 70/80 In: República do capital: capitalismo e processo político no Brasil. São Paulo, Boitempo, 2001, pp. 49-70.

Décio Saes. Capitalismo e processo político no Brasil: a via brasileira para o desenvolvimento no Brasil. Boletim Campineiro de Geografia, vol. 1, n. 6, 2016, pp. 11-28.

Leituras complementares:

Décio Saes. As frações da classe dominante no capitalismo: uma reflexão teórica In: Milton Pinheiro (org.). Ditadura: o que resta da transição. São Paulo, Boitempo, pp. 105-118.

Décio Saes. Estado capitalista e classe dominante. Crítica Marxista, n. 12, 2001, pp. 156-164.

2 de junho, quarta, 16h

4º. Encontro: As classes médias e o processo político no capitalismo brasileiro

Resumo: O objetivo deste encontro é abordar o conceito de classe média e observar o comportamento das classes médias no capitalismo brasileiro

Professor responsável: Patrícia Trópia (UFU)

Leitura principal:

Décio Saes. Classe média e política no Brasil (1930-1964) In: Sérgio Buarque de Holanda (org.). História Geral da Civilização Brasileira (O Brasil Republicano: Sociedade e política: 1930-1964, tomo III, Volume 10). Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2007, pp. 533-602.

Décio Saes. Classe média e políticas de classe (uma nota teórica). Contraponto, ano II, vol. 2, 1977, pp. 96-102.

Leituras complementares:

Décio Saes. “Introdução” e “Tema” In: Classe média e sistema político no Brasil. São Paulo, T. A. Queiroz, 1984, pp. IX-X, 1-26.

9 de junho, quarta, 16h

5º. Encontro: Neoliberalismo e novíssima dependência no Brasil

Resumo: O objetivo deste encontro é discutir o conceito de neoliberalismo e de novíssima dependência e sua aplicação para a análise da política brasileira recente

Professor responsável: Jair Pinheiro (Unesp)

Leituras principais:

Décio Saes; “Populismo e neoliberalismo” e “A política neoliberal e o campo político conservador no Brasil atual” In: República do capital: capitalismo e processo político no Brasil. São Paulo, Boitempo, 2001, pp. 71-79 e 81-91.

Décio Saes. “Modelos político latino-americanos na nova fase da dependência” In: Francis Mary Guimarães Nogueira e Maria Lúcia Frizon Rizzotto (orgs). Políticas sociais e desenvolvimento: América Latina e Brasil. São Paulo, Xamã, 2007, pp. 155-172

16 de junho, quarta, 16h

6º. Encontro: Balanço crítico da obra República do capital, 20 anos depois

Palestra de encerramento do curso com o professor Décio Saes, autor do livro República do capital

EUA versus China, a rivalidade do século 21

A Escola Latino-americana de História e Política é uma iniciativa autossustentável e sem fins lucrativos, todas e todos docentes são voluntários.
As contribuições destinam-se a custear os custo operacionais da escola.
A contribuição para este curso é de R$ 25,00 ou R$ 35,00, contribua conforme suas possibilidades.
Caso voce não tenha condições de arcar com nenhum valor envie uma solicitação de bolsa para matricula@elahp.com.br
Pacotes especiais para Sindicatos, Movimentos Sociais e entidades afins, entre em contato pelo email matricula@elahp.com.br

As aulas serão ministradas pela plataforma Zoom.
É fornecido certificado condicionado à presença de, no mínimo, 70% das aulas.

Coordenador do curso: Prof. José Reinaldo Carvalho

Programação

Sempre das 21h as 23h

4 de Maio, terça

Aula 1 – A guerra comercial e tecnológica dos EUA contra a China
Profª Melissa Cambuhy

5 de Maio, quarta

Aula 2 – As vantagens comparativas da economia chinesa na relação comercial com os EUA
Prof. Vladimir Milton Pomar

6 de Maio, quinta

Aula 3 – A política externa chinesa versus a estratégia anti-China dos EUA
Prof.José Reinaldo Carvalho

7 de Maio, sexta

Aula 4 – O socialismo chinês da nova era e o declínio histórico dos EUA
Prof. Gaio Dória

Melissa Cambuhy
Professora e doutoranda em Relações Internacionais (PPGRI-UERJ), Mestra em Direito Político e Econômico, e Bacharela em Direito (Mackenzie), pesquisa as mediações entre Estado e Economia, com foco no processo de desenvolvimento nacional chinês.

Milton Pomar
Geógrafo, professor e mestre em Estado, Governo e Políticas Públicas. Vai à China desde 1997, esteve em 18 províncias e morou em Beijing. É “Assessor Especial” de Liaoning (2014) e “Embaixador da Amizade Shandong-Brasil” (2013).

José Reinaldo Carvalho
Professor da Elahp, jornalista especializado em política e Relações Internacionais. Secretário Geral do Cebrapaz, editor internacional do Brasil 247 e Resistência.cc

Gaio Dória
Professor da Elahp, pesquisador visitante no Núcleo de Estudos dos Países BRICS (NuBRICS), bacharel e licenciado em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF), mestre em economia chinesa e doutor em direito – especialidade Teoria do Socialismo com Características Chinesas – pela Renmin University of China (RUC).
Professor da Elahp, pesquisador visitante no Núcleo de Estudos dos Países BRICS (NuBRICS), bacharel e licenciado em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF), mestre em economia chinesa e doutor em direito – especialidade Teoria do Socialismo com Características Chinesas – pela Renmin University of China (RUC).

Guerra Híbridas

Apoio

A Escola Latino-americana de História e Política é uma iniciativa autossustentável e sem fins lucrativos, todas e todos docentes são voluntários.
As contribuições destinam-se a custear os custo operacionais da escola.
A contribuição para este curso é de R$ 20,00 ou R$ 30,00, contribua conforme suas possibilidades.
Caso voce não tenha condições de arcar com nenhum valor envie uma solicitação de bolsa para matricula@elahp.com.br
Pacotes especiais para Sindicatos, Movimentos Sociais e entidades afins, entre em contato pelo email matricula@elahp.com.br

As aulas serão ministradas pela plataforma Zoom.
É fornecido certificado condicionado à presença de, no mínimo, 70% das aulas.

Material de apoio

[wpdm_tree category="guerras-hibridas"]

Coordenador do curso: Prof. Mateus Mendes

Docentes:

Prof. Miguel Enrique Stédile e

Prof. Ilton Freitas

Programação

Sempre aos sábados das 15h às 18h

10 de Abril

Aula 1: Guerras, Relações Internacionais, Luta de Classes e (Contra)Revoluções.
Professor: Mateus Mendes

17 de Abril

Aula 2: Guerra Ideológica
Professores: Mateus Mendes e Miguel Enrique Stédile

24 de Abril

Aula 3: Guerra Híbrida e Contrarrevolução
Professores: Mateus Mendes e Ilton Freitas

Prof. Mateus Mendes

Mestre em Ciência Política/Relações Internacionais (UNIRIO). Geógrafo formado pela UFF. Professor da Rede Municipal de Duque de Caxias (RJ). Diretor do SEPE – Duque de Caxias. Pesquisador do GRISUL (Grupo de Pesquisa em Relações Internacionais e Sul Global). Colunista do Brasil 247.

Prof. Miguel Enrique Stédile

Doutorando e mestre em História pela UFRGS. Integrante do Front – Instituto de estudos Contemporâneos. Educador do Instituto de Educação Josué de Castro. É autor, entre outros, de “Ninguém Regula a América” (Com Ana Penido), sobre guerras híbridas na América Latina. É editor da newsletter “Ponto”, sobree conjuntura política para o Brasil de Fato e colunista do programa “Central do Brasil”, da TVT.

Prof. Ilton Freitas

Historiador formado na UFRGS, mestre em Sociologia das Organizações pela PUC/RS, doutor em Ciência Política pela UFRGS e pesquisador associado do Centro de Estudos Internacionais de Governos (CEGOV/UFRGS). Autor do livro “Transparência e Controle na Era Digital: A Agenda da Democracia Brasileira”. Trabalhou na Assessoria de Relações Internacionais do Governo do estado do Rio Grande do Sul em 2012 e escreve artigos para o diário digital Sul21.

Processos constituintes na América Latina

A Escola Latino-americana de História e Política é uma iniciativa autossustentável e sem fins lucrativos, todas e todos docentes são voluntários.
As contribuições destinam-se a custear os custo operacionais da escola. A contribuição para este curso é opcional: R$ 20,00 ou R$ 30,00.
Caso voce não tenha condições de arcar com nenhum valor envie uma solicitação de bolsa para matricula@elahp.com.br
Pacotes especiais para Sindicatos, Movimentos Sociais e entidades afins, entre em contato pelo email matricula@elahp.com.br

Coordenação: Breno Altman

Programação

Sempre das 21h as 23h

26 de abril,
segunda

Aula 1: Introdução. Constituintes e constituições na história do Brasil
Pedro Serrano

27 de abril,
terça

Aula 2: Constituintes e constituições nos governos da Bolívia, Equador e Venezuela
Ana Prestes

29 de abril,
quinta

Aula 3: o debate sobre a Assembleia Nacional Constituinte no Brasil de 2021
Breno Altman